Interrupção de chamada

Objetivo

Ampliar a inovação em produtos, processos e modelos de negócios

grafico-inovacao-na-industria.png
Iniciativas
  1. Promoção da inovação em produtos, processos e modelos de negócio;
  2. Promoção dos projetos de inovação aberta em ICT (Instituições, Científicas, Tecnológicas e Inovação), startups, e cadeias de valor;
  3. Disseminação de informações e serviços em inovação;
  4. Promoção de adoção de tecnologias associadas à indústria 4.0;
  5. Promoção de relação ICT-empresa.

 

Foram realizadas 40 ações para alcançar esse objetivo:

• 2 ações de defesa de interesses;

• 16 ações de geração de conhecimento;

• 22 ações de prestação de serviços.

 

AÇÕES DE DEFESA DE INTERESSES
Ação 1: Participação de Institutos SENAI de Inovação (ISI) nas 8ª e 13ª edições do Programa de Imersão em Ecossistemas de Inovação

Em 2018, nove Institutos SENAI de Inovação (ISI) participaram nas 8ª e 13ª edições do Programa de Imersão em Ecossistemas de Inovação, realizado pelo IEL/MEI no Brasil, que tem por objetivo aproximar as Instituições de Ciência e Tecnologia das empresas visando a realização de projetos conjuntos de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

 
Ação 2:  Programa de fomento a projetos de inovação aberta, por meio de cooperação técnica com a FINEP

A CNI/MEI submeteu ao Conselho Diretor do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), em 2022, por meio de seus representantes, uma proposta para um programa de fomento a projetos de inovação aberta a ser custeado com recursos de subvenção do Fundo. A Carta-Proposta foi aprovada e o programa será executado em 2023 por meio de um acordo de cooperação técnica com a FINEP. Serão destinados R$ 5 milhões para financiar projetos de inovação de empresas em parcerias com startups e/ou Instituições de Ciência e Tecnologia  (ICTs). As empresas serão selecionadas por meio de chamada pública.

 
AÇÕES DE GERAÇÃO DE CONHECIMENTO
Ação 3: MEI Tools

A CNI/MEI elaborou, divulgou e segue atualizando o MEI Tools, publicação digital atualizada trimestralmente, que reúne instrumentos de apoio à inovação vigentes no país geridos pelo setor público e mecanismos corporativos. Em dezembro de 2020, foi lançado o novo site do MEI Tools com uma ferramenta de busca on-line, contemplando informações sobre cerca de 200 instrumentos. A ferramenta inédita foi desenvolvida pela equipe técnica da Diretoria de Inovação juntamente com as áreas de Conteúdos Digitais e de Comunicação da CNI.

 
Ação 4: Conteúdos para estimular a discussão sobre inovação no Brasil

A CNI/MEI produziu, em 2020, diversos conteúdos em diferentes formatos para estimular a discussão sobre a inovação no Brasil: um ciclo de lives, contando com a participação de lideranças na área de inovação no Brasil e no exterior; uma série de vídeos com parceiros internacionais, relatando como as empresas enfrentaram a crise causada pela pandemia da Covid-19 em seus países; uma nova newsletter digital, trazendo conteúdo exclusivo, dados relevantes, seção de podcast e divulgação de material de referência.
Em 2022, a CNI/MEI tem atuado ativamente na participação das reuniões de discussão e na elaboração de artigos técnicos a serem veiculados na publicação do Global Innovation Index. Entre eles, artigo escrito em conjunto pela presidência da CNI com a Totvs a respeito do paradoxo entre inovação e aumento da produtividade na economia contemporânea.

 
Ação 5: 27º DIÁLOGO DA MEI 

Boas práticas de parceria universidade-empresa em cursos de graduação em Engenharia foi um dos temas do 27º DIÁLOGOS DA MEI, em 28/10/2019, com a participação de representantes de Instituições de Ensino Superior, ICTs e empresas juniores, a partir das discussões do GT de Engenharias e STEAM da CNI/MEI. O evento também com apresentações de representantes de empresas, abordando a visão empresarial para as oportunidades de parceria com universidades.

 
Ação 6: 9ª edição do Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria 

Em 2022, durante a 9ª edição do Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria, foram apresentadas 24 soluções inovadoras em seis blocos temáticos nas áreas de saúde acessível, transição energética, recursos renováveis, economia circular, cadeia de valor digitalizada e aliança para a indústria 4.0.
Também foram demonstrados oito protótipos dos cases desenvolvidos pelos Institutos SENAI de Inovação e Tecnologias, em parcerias com indústrias, selecionados para o evento sobre soluções inovadoras para resolver problemas do cotidiano, além de uma simulação hiper- realista de ataques cibernéticos a um processo industrial com ações de defesa em tempo real, demonstrando, na prática, a importância da segurança cibernética nas empresas.
No ambiente virtual do evento, o SENAI disponibilizou diversos conteúdos para consumo on- demand e realizou duas mesas redondas, transmitidas ao vivo via streaming, que abordaram a atuação e o papel da indústria em dois importantes Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Bioeconomia, o Uso e Proteção da Biodiversidade no país e Transição Energética.
Todos os conteúdos gerados estão disponíveis e abertos para disseminar a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação como alavancas para o desenvolvimento econômico e sustentável das indústrias e do Brasil.

 
Ação 7:   8° Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria 

Ancorado no tema “Inovar é desenvolver a indústria do futuro”, o 8° Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria ocorreu nos dias 10 e 11 de junho de 2019. Correalizado pela CNI e pelo Sebrae, trouxe a inovação para o centro do debate como fator determinante de desenvolvimento do país por meio do setor industrial. Foram abordados, entre outros assuntos, as mudanças que as inovações tecnológicas provocam no mundo do trabalho; a mobilidade nas cidades; a presença das mulheres no desenvolvimento de novas tecnologias; a produção de novos alimentos considerando o crescimento exponencial da população; e o aumento da longevidade. O evento contou com 3.512 participantes, 46 palestrantes nacionais e 26 internacionais.

 
Ação 8: Prêmio Nacional de Inovação (PNI)

O Prêmio Nacional de Inovação (PNI), uma iniciativa da CNI/MEI, correalizado pela CNI e pelo SEBRAE e, em parceria com SENAI e SESI, foi criado para incentivar e reconhecer as empresas que inovam e contribuem para o aumento da competitividade do país, além de auxiliar no processo de aprendizagem ao identificar pontos fortes e oportunidades de melhoria em
inovação e gestão da inovação, por meio de um relatório de avaliação individual disponibilizado às empresas participantes. As edições 2018/2019 e 2021/2022 foram realizadas, respectivamente durante o 8º e 9º o Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria.

 
Ação 9: Publicações com foco em disseminar informações e serviços em inovação

Como parte da estratégia de disseminação de informações e serviços em inovação, foram publicados os seguintes documentos: “O Estado da Inovação no Brasil MEI 2018 - Análise daEvolução Recente do Financiamento Federal à Inovação e Propostas de Aprimoramento”; “Estudo Desafios da Inovação no Brasil”; “Projeto Indústria 2027”; ”O Futuro da Formação em Engenharia: uma articulação entre demandas empresariais e as boas práticas nas universidades”; Relatórios de resultados do programa de startup da parceria CNI+SOSA.

 
Ação 10: Estudos sobre o ecossistema brasileiro de inovação (MIT/IPC) divulgados no Fórum Estadão Brasil Competitivo

O SENAI encomendou ao MIT/IPC 10 estudos sobre o ecossistema brasileiro de inovação, por meio do programa Acceleration Innovation in Brazil. Para divulgação dos estudos, o SENAI firmou parceria com o Jornal O Estado de São Paulo para a realização, em março de 2018, do Fórum Estadão Brasil Competitivo, com o tema “Como acelerar a inovação”.

 
Ação 11: Eventos para disseminar informações sobre inovação

Com o objetivo de disseminar informações sobre inovação, em maio de2019, o SENAI promoveu os seguintes eventos:

- Lançamento do livro “Innovation in Brazil” em Brasília e São Paulo, editado e lançado pelo MIT;
- Workshop Internacional “The Evolving Role of RTOs” em Brasília, com a participação do MIT (EUA), Catapult (Reino Unido), Fraunhofer (Alemanha) e CSIR (África do Sul);
- Fórum Veja/Exame “A importância da Inovação na Economia Digital”.

 
Ação 12: Primeira edição internacional do Diálogos da MEI 

Outra ação de destaque foi a realização da primeira edição internacional do Diálogos da MEI, em Nova York. O evento foi possibilitado pela parceria da CNI com o Global Innovation Index (GII).

 
Ação 13: Evento Desvendar 4.0

O SENAI contribuiu para desmistificar os conceitos da Indústria 4.0, por meio da realização do evento “Desvendar 4.0”, que contou com a participação de 22 mil empresas de todos os estados da federação. A ação ocorreu de forma simultânea nas unidades do SENAI e teve por objetivo mostrar que o aumento de competitividade desejado está ao alcance de todas as empresas, independente de porte e setor.

 
Ação 14: Workshops com foco em buscar soluções para setores industriais 

Realização de três workshops focados em buscar soluções para desafios de setores industriais, que contaram com a participação de representantes de empresas, ICTs e de associações setoriais.
O primeiro, realizado em agosto de 2018, foi destinado ao setor de óleo e gás. Por parte das Universidades e ICTs o evento contou com a participação da Fundação CERTI (Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras, do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) e do Instituto Tecgraf de Desenvolvimento de Software Técnico-Científico da PUC-Rio (Tecgraf/PUC-RJ). Participaram também os ISI de Biossintéticos, de Sistemas Virtuais de Produção, de Inspeção e Integridade, de Metalmecânica, de Química Verde, de Sistemas de Manufatura e Processamento a Laser, de Sistemas Embarcados, de Conformação e União e de Materiais.
O segundo workshop, realizado em setembro de 2018, foi voltado para o setor de construção. Por parte das Universidades e ICTs, o evento contou com a participação da USP, da UFC, da UFPR e do IPT. Participaram também os ISIs de Metalmecânica e Engenharia de Estruturas.
O terceiro workshop, realizado em novembro de 2018, foi destinado ao setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos. Por parte das Universidades e ICTs, o evento contou com a participação da Embrapa Agroenergia, da USP e do IPT. Participaram também os ISI de Química Verde e Materiais Avançados.

 
Ação 15: Parceria SENAI com a Rede de Universidades e Institutos de Pesquisa da Suécia (RISE)

O SENAI estabeleceu parceria com a Rede de Universidades e Institutos de Pesquisa da Suécia (RISE), com vistas a elaboração de projetos conjuntos de pesquisa, desenvolvimento e inovação, por meio da assinatura de um Memorando de Entendimento entre a RISE e os ISIs.

 
Ação 16: Lançamento do documento Habitação 10 anos no Futuro 

Em 2018 o SENAI Departamento Nacional, em parceria com a Câmara Brasileira da Construção Civil (CBIC), lançou um o documento Habitação 10 anos no Futuro, no qual apresenta 5 cenários futuros, uma visão para 10 anos e possíveis mudanças para o Setor. O documento é utilizado como balizador estratégico do setor da Construção Civil no Brasil. 

O Futuros da Mobilidade foi realizado no âmbito do Programa Aliança para Alavancagem do setor Automotivo, criado pelo SENAI e aprovado no âmbito do Programa ROTA 2030, em parceria com o Copenhagem Institute For Future Studies – CIFS, sediado na Dinamarca. Seus resultados apontam tensões e oportunidades futuras para o setor de mobilidade e logística no mundo e desdobramentos para o Brasil. Serve como insumos para que a indústria automotiva possa refletir sobre que rumo seguir.

 
Ação 17: Fórum Parceria Academia-Indústria para Impacto 

A MEI/CNI e a Global Federation of Councils on Competitiveness (GFCC) realizaram o Fórum Parceria Academia-Indústria para Impacto, em março de 2022, com o objetivo de debater benefícios da cooperação universidade-empresa e eventuais dificuldades do trabalho conjunto, além de promover o compartilhamento de boas práticas no tema. O evento, que contou com a participação de especialistas nacionais e estrangeiros, deu origem ao relatório “Industry - University Partnershis for Impact: a forum organized by the GFCC and CNI-MEI”.

 
Ação 18: Encontro Academia – Indústria: CT&I para o Desenvolvimento do Brasil

Ainda com o propósito de discutir o papel do sistema de ciência, tecnologia e inovação no apoio ao desenvolvimento do país, especialmente, no sentido de promover a transição para uma economia mais digital, sustentável e inclusiva, a CNI e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) realizam, em novembro de 2022, o Encontro Academia – Indústria: CT&I para o Desenvolvimento do Brasil, com a participação de representantes do governo, da academia e da indústria. O encontro reforçou a importância da articulação ICT-Empresa, assim como da disseminação de experiências exitosas de parceria de modo a estimular essa aproximação tão necessária para o avanço da inovação no país.

 
AÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS
Ação 19: Parceria com o SOSA para estímulo à startups 

O IEL e a CNI/MEI estabeleceram parceria com o SOSA, empresa israelense referência internacional em inovação aberta. Por meio dessa parceria, startups participam de programas de residência para sua inserção em mercados internacionais. Além disso, a parceria possibilita que empresas brasileiras de médio e grande porte solucionem desafios tecnológicos de maior complexidade, por meio do acesso a startups instaladas em diversos hubs de inovação pelo mundo.
No âmbito dos programas de residência para startups focando na inserção em mercados internacionais, dois programas foram executados para 10 empresas brasileiras de base tecnológicas. O primeiro, realizado de forma 100% virtual e com apoio da Baita Aceleradora e do Fundo Pitanga, capacitou 6 startups brasileiras para a internacionalização nos mercados dos Estados Unidos, Abu Dhabi e Londres. Já o segundo programa, patrocinado pela Embrapii, apoiou a internacionalização em Nova Iorque de 4 startups brasileiras. 

 
Ação 20: Rede Nacional dos Institutos SENAI de Tecnologia (ISTs) 

A rede nacional dos Institutos SENAI de Tecnologia (ISTs) atualmente conta com 62 Institutos, que atuam na prestação de serviços técnicos especializados, de metrologia e consultoria, desenvolvendo soluções com base nas tecnologias existentes, criando novos processos e produtos e com corpo técnico completo composto por mais de 1.200 técnicos e especialistas.

 
Ação 21: Programa Indústria + Produtiva

O SENAI executou o programa Indústria + Produtiva, programa de consultoria para implementar a metodologia Lean Manufacturing nas empresas. que apresenta aumento médio de produtividade de 52% nas empresas participantes, sendo a metodologia utilizada no Programa Brasil Mais Produtivo, concluído em 2018, que atendeu mais de 3000 empresas industriais de pequeno e médio porte, e posteriormente adaptada para o Programa Brasil +, em andamento.

 
Ação 22: Programa Indústria + Avançada

O SENAI executou o programa Indústria + Avançada, que oferece consultoria orientado à Indústria 4.0 para digitalização e conectividade nas empresas, com resultados de aumento de produtividade de 21% nos 56 pilotos realizados e inserção de previsibilidade produtiva em tempo real.

 
Ação 23: Programa Indústria + Eficiente

O SENAI executou o programa Indústria + Eficiente, que oferece consultoria aplicada para o aumento da eficiência energética de sistemas produtivos, por meio da análise e melhorias no consumo de energia de recursos de produção, no chão-de fábrica, em indústrias, utilizando como base as premissas da ISO 50001.

 
Ação 24: Programa Brasil Mais Produtivo - Eficiência Energética

O SENAI executou o programa Brasil Mais Produtivo - Eficiência Energética, que oferece soluções de eficiência energética às indústrias. Concluído em 2021, o programa atendeu 299 empresas dos setores de Alimentos e Bebidas, Cerâmica, Cosméticos, Metalmecânica, Têxtil e Transformados Plásticos, e contou com recursos do PROCEL (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) da Eletrobras.
As metas do programa eram de 10% de redução de consumo de energia elétrica e 10% de redução de custo com energia. Os resultados do programa superaram as expectativas, atingindo 20,8% de redução de consumo de energia elétrica e 24,7% de redução de custo com energia, sendo que a redução de consumo em MW atingida nas empresas participantes seria suficiente para alimentar durante um ano uma cidade com 20 mil casas.

 
Ação 25: Programa Brasil Mais  - Mentorias 

No âmbito do Acordo de Cooperação Técnica entre o SENAI e o Ministério da Economia para o Programa Brasil Mais, com vigência até 31 de dezembro de 2022, as duas primeiras metodologias de consultorias criadas e validadas por meio de projetos-pilotos foram operacionalizadas até 2022.
Mentoria Lean – com base em ferramentas da Manufatura Enxuta e Mentoria Digital - que consiste na digitalização e conectividade das linhas produtivas. O objetivo do Programa Brasil Mais é o aumento de produtividade em pequenas e médias empresas, com a combinação de formação profissional dos funcionários industriais e serviços de consultoria em processos produtivos, com rápido retorno de investimento. Tais metodologias contempladas neste Programa são a base das fases 1 e 2 do Brasil Mais, respectivamente. 
A Mentoria Lean, destaque do Programa, contouaté é dezembro  de 2022, com 644 consultores-mentores do SENAI em todo o território nacional, aptos a aplicar esta metodologia a colaboradoresde micro, pequenas e médias empresas industriais, de forma imersiva, contribuindo para o engajamento e manutenção da cultura de melhoria contínua. Os números alcançados nesta primeira fase são: 1905 atendimentos , com resultado de  66,5 % de aumento médio de produtividade, redução de 67% em movimentação no chão-de-fábrica e redução em 31% de perdas materiais. 
A Mentoria Digital, segunda fase do programa, que conta com a implantação de metodologias de sensoriamento e conectividade no chão de fábrica, teve sua operação iniciada em janeiro de 2022. A metodologia atingiu resultados pilotos de aumento de produtividade médio acima de 20%, entretanto, principalmente em função do valor da contrapartida, a adesão das empresas foi relativamente baixa, sem atendimentos concluídos até o final do programa.

 
Ação 26: Consolidação da Rede dos Institutos SENAI de Inovação (ISI)

O SENAI consolidou a Rede dos Institutos SENAI de Inovação (ISI), por meio de:
- Realização de mais de 1.900 projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em parceria com mais de 860 empresas industriais, ultrapassando o valor de R$ 1,9 bilhões;
- Crescimento do capital humano para cerca de 1100 colaboradores dedicados à pesquisa aplicada, com aproximadamente 550 mestres e doutores atuando em áreas de conhecimento tecnológico transversais;
- Realização de auditorias de gestão – evoluindo para Pacto de Gestão - em todos os 26 ISIs, com o apoio do Instituto Fraunhofer, desde 2015;
- Realização de auditorias tecnológicas em 26 ISIs com apoio de parceiros internacionais, sendo conduzidas pelo Instituto Fraunhofer, desde 2017;
- Realização de Pactos de Gestão em 26 ISIs e das Avaliações Tecnológicas, conduzidas em parceria com o Fraunhofer IPK e parceiros internacionais;
- Investimento de R$ 30 milhões para o desenvolvimento de novas plataformas tecnológicas para a Rede ISI por meio do apoio a 5 "Planos de Desenvolvimento de Competências" envolvendo diretamente 15 ISI de 9 diferentes Departamentos Regionais do SENAI;
- Aporte de mais de R$ 707 milhões em projetos de inovação, o que comprova o modelo orientado a demanda, estimulando o investimento de recursos privados;
- Realização de 56% dos projetos de P&DI da Rede ISI com Startups, Micro, Pequenas e Médias Empresas. A Rede ISI possibilitou a conexão de mais de 100 startups com 20 grandes empresas, por meio de desafios tecnológicos;
- 22 ISIs credenciados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis)
- 13 ISIs credenciadas ao CATI (Comitê da Área de Tecnologia da Informação – Lei de Informática)
- 1 ISI credenciado ao CAPDA (Comitê das atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia – Lei de Informática) e experiência com projetos provindos de recursos regulamentados, possibilitando o desenvolvimento de soluções de pesquisa e desenvolvimento robustas e focadas nas necessidades reais das pequenas, médias e grandes indústrias.
- Com 18 ISIs credenciados como Unidades EMBRAPII, aptas a receber recursos para desenvolvimento de atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação;
- Em 2022, 83% da receita dos projetos teve como origem PD&I. Ademais, 75% da receita veio diretamente da indústria;
- Em 2022 a Rede ISI alcança pelo quarto ano consecutivo uma operação plenamente sustentável, buscando diversificar sua carteira de clientes e fontes de fomento, bem como suas competências tecnológicas ofertadas ao mercado.
As informações da rede de ISIs estão disponibilizadas em institutos.senai.br.

 
Ação 27: Edital de Inovação para a Indústria

O SENAI promove o Edital de Inovação para a Indústria, por meio do qual disponibiliza recursos para o desenvolvimento de produtos, processos ou serviços inovadores, com o objetivo de aumentar a produtividade e a competitividade da indústria brasileira, além de promover a otimização da segurança e saúde na indústria.
Em 2018, o SENAI lançou 14 desafios na Categoria Empreendedorismo Industrial do Edital de Inovação para a Indústria, disponibilizando R$ 10 milhões de reais para desenvolvimento de projetos de pesquisa voltados a 60 startups e 14 empresas âncoras. 
Em 2020, o Edital de Inovação se tornou a Plataforma Inovação para a Indústria, espaço em que as empresas podem anunciar desafios a qualquer momento e encontrar parceiros dispostos a desenvolverem soluções inovadoras para superá-los.
Em 2021, mobilizou mais de R$ 100 milhões, por meio de 10 categorias: 
- Habitats de Inovação;
- Aliança Agroindustrial;
- Aliança Industrial;
- Aliança Agenda.Tech;
- Empreendedorismo Industrial;
- Startup.Tech;
- Missão Industrial;
- Chamada Regional;
- Smart Factory;
- Rota 2030.

Em 2022 a Plataforma Inovação para a Indústria  completou 18 anos, de maneira ininterrupta, e já estimulou R$ 940 milhões em projetos inovadores. Por meio da Plataforma Inovação, o SENAI possui sólida experiência em coordenar Programas Prioritários – como, por exemplo, do Rota 2030 – além de Projetos Estratégicos, como as chamadas de missões industriais e novas categorias (ex.: Smart Factory, parceria entre SENAI, ABDI e BNDES).
Além disso, neste mesmo ano a Plataforma Inovação para a Indústria se consolidou como o principal mecanismo de inovação do País para congregação de Alianças e articulação de Missões Industriais. Entre as chamadas realizadas pelo SENAI, destacam-se:

- A partir do sucesso da Chamada de Missão Industrial de Hidrogênio Verde, em parceria com a CTG Brasil, que selecionou seis projetos os quais totalizam R$ 45 milhões, foi realizada a Chamada de Habitat TecHub – 1,3 hectar no Complexo Industrial Porto de Suape, em Pernambuco – onde estes projetos serão executados e mais indústrias interessadas poderão se engajar nesta iniciativa;
- A Chamada Missão Industrial Balbina SmarGreen Connection, em parceria com a Eletronorte, selecionou cinco projetos, que totalizam cerca de R$ 40 milhões, para ampliar, diversificar e socializar a energia elétrica produzida na Usina. Serão utilizadas placas solares, em terra e em água, para produção de Hidrogênio Verde que serão utilizados na região: escolas, barcos e outros atividades sustentáveis;
- A Missão Industrial (Bio)soluções, em parceria com a Suzano, está disponibilizando R$ 14,4 milhões, com o objetivo de mapear parceiros, tecnologias e projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em produtividade agroflorestal, mercado de carbono, biomassa de eucalipto e soluções para embalagens celulósicas;
- A Missão Industrial Circularidade das Embalagens de Vidro, em parceria com o Grupo Petropólis, disponibilizou R$ 5 milhões para projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação para aumentar a circularidade na cadeia do vidro de embalagens;
- A Chamada Smart Factory, em parceria com BNDES, ABDI e Ministério da Economia, tem como objetivo financiar projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação colaborativos entre os Institutos SENAI e empresas provedoras de tecnologias 4.0 que resultem em soluções para serem implantadas em Micro, Pequenas e Médias Empresas para aumento de produtividade. Ao total serão R$ 40 milhões em projetos, sendo que a primeira chamada de R$ 10 milhões selecionou 15 projetos cujas soluções serão aplicadas em mais de 260 linhas de produção.
Estas Missões Industriais foram apresentadas na COP27, demonstrando como os Institutos SENAI de Inovação, Institutos SENAI de Tecnologia e Plataforma Inovação para a Indústria podem apoiar as Indústrias e toda a sociedade na modelagem e operacionalização de Missões Industriais de grande impacto, em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e atendendo aos requisitos ESG.

 
Ação 28: Programa de Alavancagem de Alianças para o setor Automotivo

Por meio da Plataforma Inovação, o SENAI executa o Programa Prioritário A³ (Alavancagem de Alianças para o setor Automotivo), no âmbito do programa ROTA 2030, que promove, de forma progressiva, a inserção global da indústria automotiva brasileira por meio da exportação de veículos e autopeças até que o país esteja inteiramente inserido e no estado das artes da produção de veículos automotores no mundo, alcançando resultados expressivos:
- 30 projetos de inovação em P&D&I, constituídos por 14 Alianças e 23 empresas;
- 260 Consultorias de lean digitalização e gestão industrial, sendo uma por empresa, na categoria HandsOn, com resultado de 59% de aumento de produtividade nas consultorias Lean e 41,5% nas consultorias que envolvem ferramentas digitais.

O total de recursos envolvidos no programa ROTA 2030 são de R$ 58 milhões para as Alianças e R$ 42 milhões para a categoria de consultorias.

 
Ação 29: Master in Business Inovation (MBI), no âmbito do ROTA 2030

- O SENAI executa o programa MBI (Master in Business Inovation), no âmbito do ROTA 2030, para incrementar a produtividade da cadeia, a partir da relação com as montadoras, onde os alunos são agentes ativos, desenvolvendo práticas reais que geram resultados para o setor. 
- O programa de Pós-graduação Lato Sensu com carga horária de 420 horas denominado Master in Business Innovation (MBI). Foram realizadas duas turmas, com participação de 112 alunos e 32 empresas da cadeia automotiva participantes;

São oferecidas também oficinas com o objetivo de promover a atualização profissional de colaboradores, terceirizados e fornecedores da cadeia automotiva, proporcionando um melhor desempenho no exercício do trabalho e o crescimento conjunto do setor. O programa já capacitou 1.510 alunos em oficinas de Industria 4.0, digitalização e produtividade. com 50 executivos das empresas do setor automotivo.

 
Ação 30: Rede SENAI de Inovação e Tecnologia contra o Coronavírus

Em março de 2020, foi lançada a chamada “Missão contra Covid-19” – primeira ação de fomento a projetos inovadores do Brasil visando o combate à Covid-19 - que fomentou a rede SENAI de Inovação e Tecnologia contra o novo Coronavírus. Esta chamada financiou 34 projetos de P&D+I de alto impacto, escala nacional e rápida implementação, totalizando R$ 30 milhões de recursos mobilizados, sendo R$ 15 milhões do Departamento Nacional, R$ 5 milhões da ABDI e R$ 10 milhões da EMBRAPII.
Esta rede foi composta por quatro iniciativas principais. Ao final de 8 meses de atividades, foram atingidos os seguintes resultados:

- Iniciativa + Manutenção de Respiradores: 2.400 respiradores foram devidamente consertados, de maneira gratuita e voluntária, apoiando o sistema de saúde a salvar, potencialmente, mais de 24 mil vidas. Esta iniciativa constituiu uma rede voluntária para realizar a manutenção de respiradores mecânicos que estavam sem uso, a fim de ajudar no tratamento de pacientes com a covid-19. A rede voluntária foi formada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), ArcelorMittal, BMW Group, Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Globo Comunicação e Participações, Ford, Fundação Oswaldo Cruz, General Motors, Honda, Hyundai Motor Brasil, Instituto Votorantim, Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e POLI-USP, Jaguar Land Rover, Mercedes-Benz do Brasil, Moto Honda, Petrobras, Renault, Scania, Todos pela Saúde (Itaú), Toyota, Troller, Usiminas, Vale, Volkswagen do Brasil e Volvo do Brasil, com o apoio do Ministério da Saúde, do Ministério da Economia, do Ministério da Defesa, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin);
- Iniciativa + Prevenção: 59,1 milhões de equipamentos de proteção individual (EPIs) foram produzidos, entre máscaras, vestimentas hospitalares, face shields, luvas cirúrgicas e outros EPIs. Além disso, 600 empresas receberam consultoria gratuita no processo produtivo, com apoio de consultores do SENAI, para produzir, adaptar ou ampliar a produção de EPIs, na chamada CONEXÃO SENAI EPIs;
- Iniciativa + Diagnósticos: mais de 1 milhão de testes sorológicos foram produzidos; 9 laboratórios de biologia molecular implementados, com capacidade atual de até 5 mil testes PCR por dia, com previsão para chegar até 12 mil testes por dia até o final deste ano;
- Iniciativa + Respiradores: 4 empresas nacionais, produtoras de respiradores, receberam certificação da Anvisa com o apoio de pesquisadores do SENAI, com capacidade de produção nominal de até 5 mil equipamentos por mês.

A Iniciativa +Manutenção de Respiradores foi premiada como finalista do Prêmio Empreendedor Social, que em 2020 foi dedicado a premiar ações de combate ao COVID-19. A premiação é realizada, há 16 anos, pelo jornal Folha de S. Paulo em parceria com a Fundação Schwab, uma das comunidades do Fórum Econômico Mundial.
O conjunto dessas ações posicionou o SENAI no oitavo lugar da lista da FORBES das 100 instituições que mais apoiaram o Brasil durante a Pandemia da Covid-19. Esses resultados consagram o SENAI como o principal parceiro da indústria, tanto na área de educação quanto em serviços tecnológicos e de inovação.

 
Ação 31: Hubs SENAI de Inovação e Tecnologia

O SENAI idealizou um ambiente físico de congregação regional de inovação, atendendo a indústria local, por meio de serviços próprios ou em rede com os Institutos SENAI de Inovação ou com os Institutos SENAI de Tecnologia.   Os Hubs SENAI de Inovação e Tecnologia surgem para criar um ambiente no estado que sirva de referência para a comunidade empresarial, acadêmica e de empreendedores de forma geral. Visam promover, identificar, capturar, executar e entregar soluções em tecnologia e inovação, desenvolvendo competência a partir da colaboração com as redes de ISIs e ISTs, referências em suas respectivas áreas de atuação e que estão distribuídas por todo território nacional. Existem 11 Hubs SENAI de Inovação e Tecnologia, em operação ou implementação, para:  

- catalisar as iniciativas regionais de inovação, alavancando projetos e recursos; 
- desenvolver novos negócios, por meio de chamadas customizadas na Plataforma Inovação; e
- atender a demandas locais das indústrias, com competência própria (centralizando programas de base nacional) ou articulando com os Institutos SENAI.

 
Ação 32: Habitats SENAI de Inovação

O SENAI disponibiliza, por meio de chamadas temáticas, ambientes colaborativos onde as empresas se instalam e utilizam a infraestrutura e capital intelectual dos Institutos SENAI. Atualmente existem 16 Habitats SENAI de Inovação. Cada um dos Habitats tem foco em temáticas relevantes para as indústrias da região e é baseado nas competências do Instituto em que está sediado, com o objetivo de facilitar a execução de projetos de PD&I e garantir a jornada de inovação da empresa de forma customizada, minimizando riscos, maximizando resultados e entregando valor à sociedade.

 
Ação 33: Parcerias estratégicas nacionais e internacionais de cooperação institucional

O SENAI firmou importantes parcerias estratégicas de cooperação institucional, em âmbito nacional e internacional, com o objetivo de alavancar o desenvolvimento de produtos, processos ou serviços inovadores, bem como aumentar a produtividade e a competitividade da indústria brasileira, além de promover a otimização da segurança e saúde na indústria.
Entre elas:

- Cooperação internacional SENAI e VINNOVA - apoiar a realização de projetos de pesquisa aplicada e inovação com atores suecos em colaboração internacional, que gerem soluções sustentáveis com potencial de mercado e oportunidade para enfrentar os desafios da sociedade.
- Parceria acadêmica SENAI e Partners Of The Americas dos Estados Unidos - viabilizar programas de intercâmbio e treinamento de estudantes entre os dois países, para gerar oportunidades às Instituições de Ensino Superior (IES) nos Estados Unidos, Institutos SENAI de Inovação e Instituições Educacionais no Brasil.
- Chamada internacional SENAI e Agência TACR, da República Tcheca - construir de alianças de projetos voltados ao desenvolvimento tecnológico nos temas: Energia a partir de Hidrogênio; Mobilidade e Logística; Reciclagem e Gestão de Resíduos; e Inteligência Artificial.
- O SENAI e os Institutos SENAI de Inovação se associaram à maior rede de institutos de inovação do mundo, a WAITRO, que atualmente conta com mais de 100 membros de mais de 50 países. Por meio dessa filiação o SENAI avança na internacionalização de sua rede de pesquisa e facilita o acesso da indústria brasileira outros parceiros tecnológicos ao redor do mundo.  
- Parceria realizada com a AiF (Federação Alemã de Associações de Pesquisa Industrial), que possui uma rede de instituições de pesquisa e inovação, que estão habilitadas a receber um financiamento para promover redes colaborativas entre países. A importância é de alavancar recursos financeiros para promover projetos de inovação entre Brasil e Alemanha na agenda de sustentabilidade, acelerando rotas tecnológicas que visam apoiar a indústria brasileira na agenda de uma economia de baixo carbono. 

 
Ação 34: Programa SENAI 4.0

Com o objetivo de levar a indústria 4.0 para todas as empresas brasileiras, o SENAI desenvolveu e lançou, em abril de 2018, o Programa SENAI 4.0, que presta auxílio às empresas por meio de consultorias e cursos gratuitos.
O SENAI disponibilizou no âmbito do Programa, uma ferramenta online e gratuita para autodiagnóstico sobre o grau de maturidade das empresas na Indústria 4.0, que auxilia no direcionamento e adequação aos produtos ofertados às empresas para melhoria de seus processos produtivos. Até o final de 2021-8, mais de 3000 empresas já haviam realizado seu autodiagnóstico.
Ainda no âmbito do programa, o SENAI desenvolveu um portfólio de serviços alinhado às necessidades das empresas para aumentar sua produtividade por meio de ferramentas e tecnologias da Indústria 4.0, que incluem desde serviços educacionais em 4.0, programas de consultoria em ferramentas 4.0 para pequenas e médias empresas, bem como projetos de alta complexidade em Inovação 4.0.
E como ampliação do programa, em 2020 foi lançado o SENAI EXPERIENCE 4.0, programa para aplicação dos conceitos do programa SENAI 4.0 e inserção de empresas industriais na jornada rumo a Indústria 4.0. Em 2021, foram realizados três pilotos: com a ABAL (Associação Brasileira do Alumínio), SENA Colômbia, ABIT (Associação Brasileira da indústria Têxtil) e NAGI Digital (Núcleo de apoio à gestão da Inovação do IEL).

 
Ação 35: Programa de Imersões em Ecossistemas de Inovação

Em 2019, foram realizadas 7 edições do Programa de Imersões em Ecossistemas de Inovação, sendo 2 no Brasil e 5 internacionais (uma na China, duas em Israel, uma nos Estados Unidas e uma na Alemanha e Suíça). Ao todo, 176 executivos participaram do programa cujo objetivo é promover e facilitar parcerias entre a indústria e centros de conhecimento. Em 2021, foram realizadas duas imersões virtuais nos ecossistemas de Israel e Estados Unidos.
O ano de 2022 marcou a retomada das imersões presenciais, após período de imersões exclusivamente virtuais devido às liminações na mobilidade impostas pela pandemia de Covid-19. Foram realizados 5 edições do programa, 3 internacionais e duas nacionais, que levaram o programa a 30 edições. As imersões internacionais levaram cerca de 120 lideranças do ecossistema de inovação brasileiro aos ecossistemas de inovação de Israel, Alemanha e Finlândia. No Brasil, coordenamos um programa customizado para os empregados da MRS, e outro programa customizado para empresas vencedoras do Prêmio Nacional de Inovação. 

 
Ação 36: Ações de PD&I para impulsionar o fortalecimento de pesquisas e projetos em inovação com foco no setor elétrico brasileiro em parceria com a CTG Brasil

O SENAI, em parceria com a CTG Brasil (China Three Gorges Corporation), empresa do setor de energia limpa, implementou ações de PD&I para impulsionar o fortalecimento de pesquisas e projetos em inovação com foco no setor elétrico brasileiro, entre elas:

- disponibilização de um “Netwaver” para funcionar como ponte entre as oportunidades da empresa e as competências dos Institutos SENAI de Inovação;
- elaboração do primeiro Road Map de Projetos no valor total de cerca de R$ 21 milhões;
- criação de um Comitê de Governança para deliberações sobre as ações já executadas e o planejamento das próximas.

A parceria viabilizou também o desenvolvimento de um projeto para a produção de testes rápidos de diagnóstico do Covid-19, que permite diagnósticos rápidos, além da expansão da oferta local de testes, com mais autonomia de distribuição e redução de custos. O projeto contou com a parceria do SENAI Departamento Nacional, da Advagen Biotech, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), de Bio-Manguinhos/Fiocruz e do Laboratório de Engenharia de Cultivos Celulares (LECC) da Coppe, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Ainda no âmbito da parceria, em 2021, o SENAI prestou assessoria para a CTG Brasil desenvolver sua estratégia de Gestão da Inovação. Para isso, realizou um diagnóstico em maturidade da inovação e propôs várias ações em inovação aberta e intra empreendedorismo.

No 2º semestre, foi realizada a Chamada Pública "Missão Estratégica Hidrogênio Verde", com o objetivo de impulsionar soluções inovadoras capazes de gerar negócios. A chamada pública recebeu inscritos de 13 estados do País: PR, SC, CE, RN, AP, MS, BA, RS, RJ, MG, PE, ES e SP.

Foram R$ 183,7 milhões em propostas, valor 10 vezes maior que o previsto no edital (R$ 18 milhões), e os temas se concentraram principalmente na produção do chamado “combustível do futuro”. Três iniciativas foram selecionadas entre as 31 propostas inscritas na Chamada Pública e serão desenvolvidas em até quatro anos a partir da assinatura do contrato. São elas: Distrito Industrial Verde; Produção e Armazenamento de Energia Solar em H2 e Aplicações em Mobilidade; e Conversor CC-CC Multiportas e Sistema IoT Inteligente de Gestão de Energias.

Como resultado da chamada, criamos um Programa Global de Hidrogênio verde que culminou na implantação do TECHUB - situado em uma área de 1,3 hectares no Complexo Industrial Porto de Suape em Recife (PE). O TecHub é o primeiro ambiente de Testbeds no Braisl focado na cadeia do Hidrogênio Verde do Brasil com infraestrutura para desenvolvimento de projetos de pesquisa, permitindo testagem e experimentação de tecnologia, produtos e serviços inovadores, simulando situações reais da indústria. 

Inicialmente, pela CTG Brasil, serão implantados seis projetos focados na produção, transporte, armazenamento, gestão e certificação do hidrogênio verde (H2V) em parceria com outras empresas e Instituições de Pesquisa  que também possuem interesse em desenvolver soluções em H2Verde.

Adicionalmente, várias empresas interessadas em testar outras rotas de produção do Hidrogênio, c especialmente de energia e possíveis consumidoras, tem demonstrado interesse em se instalarem neste ambiente de testes que está sendo desenvolvido em SUAPE. 

Em paralelo, O Complexo Industrial Portuário de Suape, localizado no cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, lançou em agosto uma chamada pública para empresas interessadas na instalação de planta industrial produtora de hidrogênio verde (H2V) na área. O complexo portuário estima que o projeto deverá gerar 1 GW de capacidade de eletrólise, reunindo investimentos de R$ 20,3 bilhões, com previsão para início de operação em 2025 gerando milhares de novos empregos. 

Portanto, iremos disponibilizar na Plataforma de Inovação o regramento, via chamada pública, a partir do dia 26/10, para que essas empresas possam aderir a este movimento de acordo com os critérios estabelecidos. Serão disponibilizados  40 “vagas” em contêineres para que as tecnologias em H2Verde e grafeno sejam desenvolvidas a partir de 2 modalidades:

-Adoção/Submissão de novos projetos
- Desenvolvimento de Plantas Pilotos

Em 2022, também foi realizada uma nova Chamada Pública “Missão Internacional em Armazenamento em Grande Escala” onde serão contratados 3 projetos de um total de propostas recebidas de  42 projetos.

 
Ação 37: Agenda TECH

A Agenda TECH é uma categoria dentro da Plataforma Inovação para a Indústria e que tem por objetivos: i) fomentar a aliança entre organizações industriais e instituições de científica, tecnológicas e de inovação; ii) estimular a construção de estudos para identificar desafios concretos de temas de interessa comuns entre os partícipes, com olhar para o médio e longo prazos; e iii) estabelecer um relacionamento de longo prazo entre o SENAI e potenciais clientes ao aprofundar o conhecimento acerca de oportunidades para a educação, tecnologia e, sobretudo, atividades de pesquisa e desenvolvimento. 
Essa categoria se concretiza por meio de um conjunto mínimo de requisitos que devem ser cumpridos pelos DRs para que possa ser aprovado projeto submetido, considerando:

-Ter pelo menos cinco (5) empresas envolvidas, todas com CNAE industrial;
- Ter pelo menos três institutos de pesquisa do SENAI envolvidos;
- Ter pelo menos uma associação de classe ou do tema envolvido;
- Ter pelo menos uma instituição de pesquisa e tecnologia que não seja do SENAI envolvido;
- Apresentar um mínimo de contrapartida financeira e econômica igual ou superior ao aporte efetuado pelo SENAI-DN que está limitado ao valor máximo de R$ 300 mil reais;
- Todas as ações acima têm que estar assinadas por todos e haver comprometimento formal de sua participação.

Em suma, é a primeira categoria da Plataforma de Inovação para a Indústria que aporta recursos para a realização de estudos sobre temas estratégicos. Já foram aprovados sete Agendas.TECH que contam, em conjunto, com a participação de 48 empresas, 13 Institutos SENAI de Inovação e Tecnologia, 7 Associações e 9 outras instituições de ciência e tecnologia, em sua maioria universidades. 

 
Ação 38: Inteligência setorial 

A estratégia setorial está sendo desenvolvida em conjunto com a ação colaborativa dos Institutos SENAI de Tecnologia que tem como objetivo entender o ecossistema interno e externo. 
São desenvolvidas ações para mapear cinco fluxos: rede interna, tecnologia, produto,  mercado e stakeholders. 
Através do levantamento de dados e cruzamento de informações, é possível entender toda a infraestrutura, equipe e portfólio de negócios; clientes, localização de atuação e de potencial a ser explorado, stakeholders, mercado interno e externo. Isso permitirá ao Instituto uma definição de atuação estratégica que pode potencializar o atendimento a Indústria e agregar maior potencial na rede SENAI. 

 
Ação 39: Convênio de cooperação técnica e financeira com o objetivo de mobilizar, ampliar e facilitar o acesso de empresas brasileiras a ecossistemas internacionais de inovação de referência

Em 2022, a CNI e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) firmaram um convênio de cooperação técnica e financeira com o objetivo de mobilizar, ampliar e facilitar o acesso de empresas brasileiras a ecossistemas internacionais de inovação de referência. Durante os três anos de vigência do convênio, estão previstas três chamadas públicas para internacionalização de startups brasileiras em Nova Iorque e três chamadas públicas para ambientes de inovação com o intuito de mapear tecnologias brasileiras. Além disso, espaços físicos em Nova Iorque estão disponíveis para que parceiros de ambas as instituições o utilizem.  

 
Ação 40: Plataforma MEIHub ICT-Empresa

A CNI/MEI lançou em 2022 a Plataforma MEIHub ICT-Empresa, que consiste em um ambiente on-line para facilitar a conexão entre empresas e universidades e onde a indústria pode cadastrar desafios para serem solucionados por alunos de graduação em Engenharia. No primeiro ano em operação, a plataforma teve 19 desafios empresariais cadastrados.
 

Interrupção de chamada Mapa do site