Interrupção de chamada

SENAI qualifica mão de obra para atender demanda crescente por energia solar no Brasil

O trabalho de formação profissional conta com apoio do governo da Alemanha, país referência no setor. Cursos do SENAI são oferecidos em São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Distrito Federal e Rio Grande do Norte

O Brasil tem 77 milhões de consumidores que podem gerar a sua própria energia, estima a Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD). Até 2024, mais de 1,2 milhão de sistemas de geração de energia elétrica residencial devem ser instalados no país, pelos cálculos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Para atender esse mercado promissor, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI)  está formando profissionais em São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Distrito Federal e Rio Grande do Norte.

A iniciativa do SENAI faz parte do programa de formação e assessoria técnica prestado pela Cooperação Alemã para o Desenvolvimento, por meio da empresa estatal GIZ , com recursos do Ministério de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha. Para o gerente-executivo de relações internacionais do SENAI, Frederico Lamego, a transferência de conhecimento da agência alemã para o SENAI é fundamental porque agrega valor aos novos cursos, aos programas educativos na área de energia solar e ao desenvolvimento de serviços para as empresas brasileiras. “A gente entende que esse é um mercado promissor e a Alemanha é uma das referências no mundo em energia renovável”, destaca Lamego.

Entre 2015 e 2016, o SENAI formou 952 profissionais para trabalhar no mercado de energia solar. Eles aprendem na escola, de acordo com a realidade do dia a dia da prática profissional, com o uso das tecnologias instaladas nos centros de  treinamento. Além de tornar o aprendizado mais dinâmico, os equipamentos permitem às escolas do SENAI venderem o excedente de energia produzida para as concessionárias locais. Isso é possível porque os painéis solares estão conectados à rede elétrica urbana. O telhado é coberto com material cerâmico e metálico, parecido com o que é usado em residências e indústrias.

Para explicar um pouco melhor sobre esse mercado, a GIZ produziu o vídeo “Educação Profissional para Energia Fotovoltaica”. Ele mostra um pouco da profissão de instalador fotovoltaico e também as oportunidades de formação profissional nessa área. Confira:

Relacionadas

Leia mais

Cinquenta e seis estudantes do SENAI e do Senac embarcam para Abu Dhabi
Porto Alegre inaugura Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas com foco em pesquisa
5 cursos EAD grátis do SESI para impulsionar sua carreira

Comentários

Interrupção de chamada Mapa do site