Interrupção de chamada

Competidor da WorldSkills se prepara para ser empresário da construção

Thiago se preparou o ano todo e foi o primeiro colocado na seleção para o curso do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Bauru

Thiago é de Bauru, no interior de São Paulo

Na infância, Thiago Augusto Blanco da Costa, 19 anos, morou com a mãe e os avós maternos. Seu grande exemplo foi o avô, de quem herdou a paixão pela construção. Com o sonho de se tornar engenheiro civil, Thiago decidiu, aos 15 anos, fazer o curso de Técnico de Edificações. Preparou-se o ano todo e foi o primeiro colocado na seleção para o curso do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Bauru, no interior de São Paulo. “No dia 28 de janeiro de 2012, as aulas começaram. Meu avô estava tão feliz que ia me levar e buscar no SENAI todos os dias. Ele chegou a estudar Engenharia Civil, mas teve de abandonar para trabalhar pelo sustento da família. Hoje, aos 82 anos, é servidor aposentado da Polícia Federal”, conta ele.

A escolha pelo curso foi acertada. O técnico em edificações pode ser responsável por desenvolver os projetos hidráulico e elétrico e assinar a planta de construções com até 80 metros quadrados. No decorrer do curso, a paixão do adolescente virou habilidade e Thiago se destacou entre os colegas. O bom desempenho nas aulas de hidráulica, elétrica e AutoCAD rendeu ao jovem um convite de dois professores para participar da etapa estadual da Olimpíada do Conhecimento.

Entre as ocupações da área da construção civil (hidráulica, alvenaria, drywall), ele optou por Assentamento de Revestimento Cerâmico. “Até um mês antes das provas da Olimpíada estadual, em agosto de 2013, eu treinei sozinho. Aí o SENAI contratou o Ezequiel Martins [expert do Brasil na WorldSkills Competition] para me orientar na reta final da competição”, lembra. O resultado valeu a pena: Thiago levou o ouro na olimpíada das profissões de São Paulo e uma nota 19,25 pontos superior a do segundo colocado.

Depois disso, passou a se dedicar totalmente à preparação para a etapa nacional da competição. “Eu entrava no SENAI às 8 horas da manhã e saía às 10 horas da noite. Depois que terminei o ensino médio, passei a me dedicar exclusivamente à Olimpíada”, conta.

Com tanto empenho, Thiago melhorou o que considera sua principal habilidade: a velocidade. E foi mais longe: ao representar São Paulo na etapa nacional, ele ganhou outra medalha de ouro e se credenciou para representar o Brasil na WorldSkills e disputar com outros jovens de sua faixa etária o posto de melhor assentador de revestimento cerâmico do mundo.

EM BUSCA DA PERFEIÇÃO - A prova da ocupação de Aplicação de Revestimento Cerâmico, segundo o competidor, exige que os cortes e o assentamento das placas sejam perfeitos, levando em conta o nível, o prumo, o ângulo entre a parede e o piso, e o alinhamento das peças. “Não há tolerância para erros. Se não está perfeito, você tem de tirar a placa e recolocar a massa. Por isso, é bom trabalhar com velocidade”, avalia.

Desde outubro de 2014, Thiago mora em Brasília, onde se dedica em tempo integral aos treinamentos para a competição internacional, fazendo planos para o futuro.  “Quero voltar para casa e estudar para entrar na faculdade no começo de 2016”, diz ele com saudade dos dois irmãos, um de cinco e outro de dois anos. A mãe casou-se e, com a nova família formada, Thiago deixou a casa dos avós.

Thiago mantém o sonho de se formar em Engenharia Civil e, depois, criar a própria empresa de construção, que deverá oferecer serviços de acabamento, reformas e obras em geral. Prevenido, também já começou a se preparar para a nova empreitada. Em janeiro, na folga do treinamento, fez dois cursos de qualificação a distância – um de administração e outro de empreendedorismo.

A WORLDSKILLS - O Brasil será representado por 56 jovens profissionais técnicos na 43ª edição da WorldSkills Competition, que será realizada em São Paulo de 11 a 16 de agosto. Essa é a maior delegação já reunida pelo país para a competição. Na WorldSkills, os 1.200 competidores, todos com menos de 22 anos de idade, de 62 países, disputam medalhas em 50 profissões da indústria e do setor de serviços.

Ao longo de quatro dias de provas, eles precisam alcançar índices de excelência ao executar tarefas semelhantes às que realizariam em situações reais do dia a dia das indústrias ou no setor de serviços. Todos são avaliados pelas habilidades técnicas e pessoais.

SAIBA MAIS - Saiba tudo sobre a WorldSkills São Paulo 2015. Acesse o site da disputa. Para conhecer os outros competidores brasileiros da WSSP2015, acesse o site da Olimpíada do Conhecimento/WorldSkills, do SENAI.

Relacionadas

Leia mais

7 cursos técnicos que você não imaginava existir no SENAI
Definida a equipe que representará o Brasil na competição mundial de profissões técnicas
WorldSkills São Paulo 2015 lança jogo educativo sobre o mundo da educação profissional

Comentários

Interrupção de chamada Mapa do site